segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Sobre o analfabetismo financeiro

Na semana passada o Nerd Investidor publicou um post sobre um artigo no jornal Estadão a respeito da triste realidade dos brasileiros em serem tão desatentos com as finanças pessoais. Coincidentemente eu havia passado por um episódio interessante dias antes de tomar conhecimento desta pesquisa.

O fato aconteceu em um curso que estava realizando e em uma das atividades o orientador nos passou um texto, ao final a atividade solicitava a criação de uma planilha financeira com receitas e despesas e outra planilha com a relação dos patrimônios, por já ter esse controle, decidi não realizar a atividade, afinal iria repetir uma coisa que já faço praticamente toda semana (revisão), sendo assim terminei a leitura e aguardei o restante da turma terminar a tarefa. Repentinamente começava a discussão e até mesmo brincadeiras do tipo: "não sei nem quanto ganho, vou saber quanto gasto?", "meu cartão de crédito deve levar mais de 50% do meu salário", "meu patrimônio é meu carro financiado".

Minha reação com o que tive que ouvir.

Não podia ser verdade, uma sala de aula com aproximadamente 30 pessoas, todas graduadas e com mais de 22 anos, falando uma coisas dessas, algumas ainda com um certo "orgulho" de levar a vida que levam sem se preocupar com os gastos.

Sabendo disso eu cheguei a conclusão, assim com o Nerd Investidor comentou no blog dele, que estamos muito a frente da grande maioria da população brasileira e ainda assim somos críticos e cobramos cada vez mais de nós mesmos, só nós sabemos do que abrimos mão em prol de algo melhor no futuro e acredito que muitos assim como eu, já se pegaram perguntando se não estamos exagerando na dose, mas a resposta cada um tem a sua. Parabéns para todos nós e obrigado também aqueles que serviram de inspiração pra mim e tantos outros da blogosfera.

Vamos com força!
Abraço

6 comentários:

  1. Não vi nem a matéria nem o blog, mas concordo plenamente. Parei de ler matérias sobre como economizar: são coisas muito óbvias, sempre mais do mesmo. Não servem para mim pois pratico economia há muito tempo, mas percebo que a maioria das pessoas não seguem. E caio exatamente na situação citada: um bando de nego que não quer se dar ao trabalho de controlar contas me chamando de mão de vaca pq eu controlo as minhas e não aceito fazer trocas inúteis, como trocar minha TV de tubo (que está funcionando) por uma "fininha", por exemplo...
    Difícil de entender.
    will

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha... entendo perfeitamente você Will, também sou visto com mão de vaca pela maioria das pessoas próximas a mim. Pois bem, eu penso muito de como vou estar no futuro comparado a essas mesmas pessoas e sei que a probabilidade é 90% positiva. Esse pensamento é o meu aliado nessas situações.

      Abraço!

      Excluir
  2. Olá Mire!

    Tb passo por isso quase diariamente, o que mais vejo é gente reclamando que está devendo. Tenho um funcionário cujo carro é 3 anos mais novo e de categoria superior ao meu, o tem um S4 e vive com roupas de marca. No dia do pagamento quase sempre ele fica devendo tamanha a quantidade de vales que pega, aí faz hora extra pra compensar. É um desses que se orgulha de dever até as cuecas, vai entender...

    Abração!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diga Corey,

      Difícil demais entender uma coisa dessas, eu fico intrigado quando vejo um estilo de vida bancado pelo cartão de crédito e outros "facilidades". O mais interessante é que se você tentar ajudar, mostrando uma outra realidade, acaba sendo é criticado.

      Abraços!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Achei interessante este trecho:

    "Não podia ser verdade, uma sala de aula com aproximadamente 30 pessoas, todas graduadas e com mais de 22 anos, falando uma coisas dessas, algumas ainda com um certo "orgulho" de levar a vida que levam sem se preocupar com os gastos."

    Se você for em aulas de mestrado e doutorado, verá a mesma coisa meu amigo. Ausência de educação financeira atinge tudo e todos, infelizmente. Felizmente acordamos a tempo!

    Abraço!

    SdP

    ResponderExcluir